C.G.U.Anuncie AquiSobre nósContactosFAQ's
Thursday, 27 de April de 2017
[+] Login
User:
Senha:
[+] Acções

Registar

Recuperar Password

[+] Publicidade
Pesquisa: Simples | Mostrar Tudo
Categoria:
Sub-Categoria:
[+] Notícias Nacionais

Trabalho: Doença e acidentes causam milhões vítimas anuais

publicado a 14.03.2011

A ministra do Trabalho, Helena André, afirmou hoje que as doenças profissionais e os acidentes de trabalho provocam anualmente 2,3 milhões vítimas no mundo, apoiando «um sistema eficaz» de segurança e saúde no trabalho para responder ao desafio.


«Sabemos que o problema das doenças profissionais e dos acidentes do trabalho provocam no mundo 2,3 milhões de vítimas em cada ano e que o impacto destas perdas no Produto Interno Bruto (PIB) global é cerca de 20 vezes superior ao total do apoio oficial que existe no planeta», disse a governante num seminário em Lisboa, destacando que apoia um «sistema eficaz» neste domínio que responda a esta situação.


Helena André, que falava no seminário de encerramento dos trabalhos da Campanha Europeia de Avaliação de Riscos na Utilização de Substâncias Perigosas«, na capital portuguesa, realçou também que para haver »um sistema eficaz de segurança e saúde no trabalho«, tem de existir »um compromisso conjunto« entre as autoridades competentes, trabalhadores, empregadores e os seus representantes.

Categoria: HST - Acidentes de Trabalho e Doenças Profissionais | Sub-Categoria: Estatísticas e Custos de Acidentes de Trabalho

Ler Mais »

CGTP avança com estudo sobre vítimas de acidentes

publicado a 14.03.2011

A CGTP está a desenvolver um estudo científico sobre o percurso, aos mais diferentes níveis, dos acidentados de trabalho em Portugal após os sinistros, revelou hoje, em Coimbra, o secretário-geral da organização sindical, Carvalho da Silva.


“Queremos saber melhor o que acontece aos acidentados de trabalho”, para se entender bem “este problema de dimensão enorme”, sublinhou o líder da CGTP, que falava, em Coimbra, no encerramento de um encontro sobre reparação dos acidentes de trabalho, com dirigentes sindicais e técnicos de várias organizações dos distritos de Castelo Branco, Coimbra e Guarda.

A prevenção dos acidentes de trabalho é para a CGTP “uma questão central”, mas, para a promover, é necessário “perceber bem o que acontece aos acidentados de trabalho, após os acidentes”, salientou, em declarações à agência Lusa, à margem do encontro, Carvalho da Silva.

Para o líder da Intersindical, importa compreender o comportamento das empresas e das companhias de seguro ou o modo como as vítimas daqueles acidentes são reintegradas no trabalho e na sociedade.

“A morte é menos respeitada no mundo do trabalho do que fora dele”, afirmou Carvalho da Silva, referindo, designadamente, que “os acidentes de trabalho matam mais do dobro do que os conflitos armados” e provocam quase o triplo dos feridos.

Em Portugal morrem, em média, duas pessoas em cada três dias, em resultado dos acidentes de trabalho, que, por outro lado, provocaram, em 2006, na União Europeia, um total de cerca de 167 mil mortes e “incapacidades diversas” em cerca de 300 mil pessoas.

Na intervenção que fez na sessão de encerramento do encontro, Carvalho da Silva sustentou que a “responsabilidade social” é “a continuidade dos direitos fundamentais” e não a sua “substituição”.

Muitas vezes, no entanto, as empresas, particularmente “as grandes empresas dão uma imagem de respeito pela responsabilidade social”, mas, acusou, “desrespeitam os direitos fundamentais".

O encontro foi promovido pela União de Sindicatos de Coimbra/CGTP, na sequência do projeto de lei que regulamenta o regime da reparação dos acidentes de trabalho e doenças profissionais.

Categoria: HST - Acidentes de Trabalho e Doenças Profissionais | Sub-Categoria: Estatísticas e Custos de Acidentes de Trabalho

Ler Mais »

Primeira Página | 315 | 316 | 317 | 318 | Última Página

[ 1587 resultado(s) encontrado(s) ]